Ponto comercial: características do imóvel assumem maior ou menor importância dependendo do negócio

Publicado em 05/12/2014 por Imprensa

Franqueadoras dão até suporte jurídico em questões como renovação de contrato, já que pontos próprios são exceção em suas redes

Um dos momentos mais importantes na abertura de uma loja física é a escolha do ponto comercial. É preciso pensar em cada detalhe para que o endereço ajude o negócio a prosperar. E não basta usar a receita de outro ponto comercial de sucesso. Cada negócio tem suas especificidades, que exigem aspectos diferentes do imóvel a ser escolhido.


Quando se opta por abrir uma franquia, as franqueadoras oferecem apoio ao franqueado inclusive nesse aspecto. Na maior parte dos casos, o imóvel é alugado e deve estar adequado ao segmento escolhido: alimentação, educação, beleza, etc. A seguir, há dois exemplos de como, juntos, franqueados e franqueadores chegam ao consenso do ponto comercial ideal.


Loja para encantar o cliente


A Di Vetro – rede de lojas especializadas em perfumaria importada, que traz ao público marcas renomadas, como Calvin Klein, DKNY, Shiseido, Kenzo, Hugo Boss, Carolina Herrera, Givenchy, Dolce & Gabanna e muitas outras – escolhe, para suas lojas franqueadas, pontos comerciais que possam valorizar o produto e o conceito dos  produtos que oferece: são itens que têm excelente qualidade e trazem beleza, autoestima e bem-estar aos clientes.


Para isso, uma equipe da Di Vetro está constantemente analisando pontos comerciais para oferecer a novos franqueados. “O franqueado também pode sugerir um ponto quando assina com a franquia. Mas o mais comum é franqueadora e franqueado agirem juntos nesse momento, porque o negócio tem que ser bom para todos”, afirma Luana Paulino, diretora de expansão.


Ela detalha algumas características fundamentais para que um ponto comercial seja aprovado pela Di Vetro. O imóvel deve ter entre 25 m2 e 120 m2, preferencialmente com piso claro de porcelanato. Para encantar o cliente, há um cuidado especial com a decoração do espaço e com a ausência preferencial de pilastras centrais, que podem atrapalhar a visão da vitrine. Também é fundamental que haja um grande fluxo de pedestres no local, principalmente na modalidade loja de rua. Neste caso, é considerado o imóvel ideal o que fica no meio do quarteirão. Quando a franquia vai ser instalada em shopping, a loja deve ficar preferencialmente no corredor, próxima da entrada ou no caminho das lojas âncora, cinemas ou praça de alimentação. “Perfume é venda por impulso”, justifica Luana.


A franqueadora só veta um ponto comercial por razões bastante fortes: quando a necessidade de obras de reforma representa mais de 30% do valor investido, se a franqueadora avalia que não há fluxo suficiente de passantes no local e quando o valor do aluguel é maior que 10% do faturamento estimado da loja (cerca de R$ 80 mil/mês).


A Di Vetro oferece ao franqueado suporte jurídico para renovação de contratos de locação e para outras questões relativas ao imóvel. “Achar um bom ponto comercial é sempre difícil, pois os valores de aluguel são caros. Por isso, investimos em pesquisa de pontos e em negociação”, conclui Luana. O investimento inicial em uma loja Di Vetro é de R$ 350 mil a R$ 750 mil.


Ponto comercial deve obedecer às normas da vigilância sanitária e estar em ruas movimentadas


Para escolher um ponto comercial para uma nova loja da rede Lig-Lig – que oferece o melhor da culinária chinesa adaptada ao paladar brasileiro –, o fundamental, para a franqueadora, é que o ponto comercial obedeça às rígidas normas de vigilância sanitária, que garantem higiene e segurança alimentar. “Os clientes sabem que, além de deliciosa, a comida da Lig-Lig é de boa qualidade e bem-feita”, diz Marco Sanches, diretor executivo da franqueadora. Para atender aos padrões da franqueadora e aos estabelecidos por lei, a cozinha deve ter azulejos brancos, piso antiderrapante, porcelanato no piso do salão e paredes branco gelo.


A rede Lig-Lig tem suas franquias sempre em ruas, já que os custos de aluguel de espaço em shopping centeres são altos. A metragem mínima é de 120 m2 e o imóvel deve ter um recuo – para estacionamento ou salão – e uma entrada lateral, a fim de permitir circulação de motoboys que realizam o delivery e fazer todas as instalações que o negócio exige. “Buscamos identificar o ponto em uma rua onde haja movimentação de pedestres. Escolas particulares, empresas e número adequado de habitantes na localidade são também pontos importantes para a definição”, detalha Sanches.


A franqueadora normalmente já tem um ponto pré-determinado quando decide negociar uma unidade franqueada. Para isso, conta com um banco de dados com imóveis ofertados, mas somente depois que o candidato envia a documentação e realiza o test drive a franqueadora apresenta algumas oportunidades. Se for necessário buscar um ponto, a Lig-Lig oferece todo o suporte ao franqueado. “Buscamos sempre a melhor oportunidade dentro do que temos e do que o candidato tem a oferecer. Mas é sempre a franqueadora que valida o local”, diz o diretor. Um imóvel só é vetado, em geral, se não estiver legalizado.


Com os preços de aluguel em ascensão nas mais diversas cidades do país, este tem sido um desafio que a Lig-Lig encara com trabalho. “Temos uma pessoa da área de expansão que se dedica não só na busca do imóvel,mas também ajuda na negociação de valores de contrato. Às vezes, aluguel requer luvas, e com nossa presença de mais de vinte anos de mercado, temos mais poder de negociação. Ajudamos também a negociar a revalidação do contrato de locação do ponto quando se aproxima o vencimento”, explica Sanches. Ele reforça que o ideal é que a renovação seja automática, no mesmo prazo do contrato da franquia (cinco anos).


A franqueadora recomenda que o aluguel do imóvel consuma até 6% do faturamento total da loja – que, para um franqueado Lig-Lig gira em torno de R$ 80 mil, em média. Já a reforma inicial do imóvel, para adaptá-lo às necessidades da loja, pode custar até R$ 200 mil – o investimento inicial em uma franquia Lig-Lig varia entre R$ 280 mil e R$ 350 mil. 


Em Pauta Comunicação

(11) 3567-7854 / 3567-7855

Cristina Thomaz – (11) 99666-5932 / 94730-6616 – ID 35*2*86267 – cristina@empautacomunicacao.com.br

Simone Valente (11) 97666-7022 -  simone@empautacomunicacao.com.br  

Clique aqui para receber mais informações:  http://www.mapadasfranquias.com.br/registro/newsletter

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franqueadores , Geomarketing para franquias , Lig-Lig , Di Vetro