Número de alunos estudando inglês em "cafeterias" têm aumento superior a 15%

Publicado em 24/01/2019 por Imprensa

English Talk, rede que expandiu método de ensino ao Brasil, registrou alta no interesse por ensino mais dinâmico e descontraído

Um método de ensino em que se aprende inglês mais rápido, de maneira mais leve, fora das salas de aula e com conversas descontraídas. Essa é a proposta da English Talk, rede que oferece cursos de inglês para o público jovem e adulto, cujas aulas são dadas em um ambiente inspirado nas coffee houses americanas. Apostar em ecossistemas que permitam ao aluno viver novas experiências que vão ajudá-lo em sua aprendizagem tem se mostrado um bom caminho: em 2018, a escola de idiomas registrou aumento superior a 15% na busca de sua rede, chegando aos 1500 alunos matriculados.

"O aluno de hoje não é mais aquele estudante passivo que recebia as informações do professor e deveria assimilá-las dessa maneira", explica César Lucchesi, gestor da English Talk. "Agora, o perfil é outro: ele precisa de um ambiente que o estimule, o mantenha livre para ir e vir e, principalmente, no qual ele não seja apenas um ouvinte", pontua.

A ideia é que o aluno se sinta como se tivesse saído para conversar com colegas. Ele tem a liberdade para pedir algo para beber ou comer enquanto pratica o seu inglês, e não precisa ficar o tempo todo da aula sentado ou nos limites da sala. O bate-papo entre aluno e professor neste ambiente estabelece relação de confiança e estimula a descontração, de forma que o estudante perca a timidez ou o medo de errar durante a conversação.

A busca por esse tipo de método tem crescido não só por estimular a desinibição e proporcionar ensino rápido, mas também porque permite ao estudante simular situações que aconteceriam na realidade, em uma viagem ao exterior ou em uma conversa com estrangeiros. "A autonomia torna a aprendizagem mais dinâmica e efetiva", explica o gestor. "Aprender as regras gramaticais do idioma é diferente de ter fluência nele. Nosso foco é que o estudante se sinta confiante ao falar, que ele de fato viva contextos verossímeis".

A metodologia de aprendizado da English Talk aposta no Self-based Learning, no qual cada pessoa aprende de uma forma, no seu próprio ritmo e com foco nas habilidades que julga mais importantes. Para isso, além do ambiente de cafeteria, conta com um sistema de ensino altamente interativo, vídeos divertidos, aulas de conversação, games exclusivos, atividades e eventos de imersão na língua.

As aulas podem ser dadas individualmente ou com uma turma de até 6 alunos, em uma faixa etária entre 15 e 60 anos. O tempo de aula é de uma hora e a duração do curso é de 18 meses. O modelo é aplicável tanto para alunos que ainda não tiveram contato com o idioma, quanto para os que já têm alguma noção e até para aqueles que já falam inglês e pretendem aprofundá-lo. As matrículas podem ser realizadas pelo site, com o preenchimento do formulário online, ou diretamente em uma unidade English Talk. 

Crescimento em 2019

Com o bom desempenho em 2018, a tendência é que a procura pelas aulas estilo coffee houses continue forte em 2019. "Esse é um método de ensino que vem chamando a atenção e tendo ótima adesão por parte dos alunos", comenta César.

Com oito unidades ativas, a English Talk pretende dobrar esse número em 2019. A empresa é uma das sete marcas que compõem a MoveEdu, maior rede de franquias no segmento de educação profissional do país. A atuação da franquia está em diferentes regiões do Brasil, em áreas como São Paulo - capital e interior -, Paraíba, Bahia e Mato Grosso, por exemplo. A expansão da marca deve ocorrer em sua maioria nas regiões nordeste e sudeste.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de idiomas , English Talk