Dot Bank: 1° banco digital do Brasil operando com modelo de franquia

Publicado em 13/09/2019 por Imprensa

Franquia home office tem o investimento de nano: R$6 mil

Os bancos digitais surgiram no mercado revolucionando o setor financeiro. Ainda em transição entre a tradição e a modernidade, fato é que eles estão em ascensão, já que a sociedade caminha de forma inevitável para o avanço das coisas. Dados da última Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária, divulgados no ano passado, mostram que foram contabilizadas 373 fintechs deste tipo somente em 2017. Ou seja, um aumento de 260%, quando comparado ao número do ano anterior, de empresas que estão surgindo e inovando no setor financeiro ao fornecer serviços bancários inteiramente baseados em tecnologia.

O número de agências digitais representa cerca de 1,7% do total de agências no país, que era de 21,8 mil naquele período — valor menor do que no anterior, de 23,4 mil.

Banco digital no franchising

Em 2019, o mercado mais do nunca continua em alta. Marcelo Salomão, empreendedor serial de Birigui (interior de SP), há sete anos já vinha trabalhando no desenvolvimento de um negócio no modelo de banco digital, e neste segundo semestre de 2019, lançou oficialmente o Dot Bank, banco digital no formato de franquias.

“Nunca consegui entender as regras bancárias e os grandes abusos que o setor comete contra as empresas, então, decidi montar meu próprio banco; com zero reais de mensalidade e baixo custo de produtos e serviços”, conta Salomão, em tom de desabafo.

Voltada para empresas com alto volume de emissão de boletos bancários e que desejam automatizar 100% seu fluxo de pagamento e recebimento, a plataforma tem foco em pagamentos, recebimentos, conciliação e automação de finanças com integrações em softwares de gestão. Aliás, o Dot Bank tem multisserviços como:

  • - Conta corrente sem tarifas
  • - Boletos bancários.
  • - TED com custo fixo de R$4,90.
  • - Automação de pagamentos.
  • - Automação de recebimentos.
  • - Serviço de cobrança e recuperação de títulos vencidos para empresas.
  • - Aplicativo para celular.
  • - Plataforma SAAS para utilização.
  • - Cartão de débito e crédito.
  • - Boletos bancários com automação total.
  • - Sistema de cobranças de inadimplentes.
  • - Envio de dinheiro para fora do Brasil .
  • - Recebimento de dinheiro no Brasil provindo de outros países.
  • - Venda de papel moeda (câmbio).

Um dos grandes diferenciais é que a conta corrente possui taxa zero, ajudando muitos empresários a reduzirem seus custos operacionais. Outro ponto forte da solução é a tecnológico aplicada. “Os bancos tradicionais ainda usam a troca de arquivo para se comunicar entre o banco e a empresa, isso é algo ultrapassado - foi criado na época que não tínhamos internet com bom desempenho. Hoje, em nossa plataforma é tudo conectado através de APIs, que é uma tecnologia nova e garante toda transação realizada”, explica. 

No estilo open banking

O empresário reforça que a questão da integração ocasiona em uma otimização de trabalho “gigantesca” para as empresas. Ele explica: “Hoje existe um grande retrabalho nas empresas onde muitas operações precisam ser feitas duas ou mais vezes em softwares diferentes. Exemplo: Se você paga uma conta de energia na plataforma do banco, depois tem que fazer o mesmo lançamento no software de gestão, e quando o pagamento for realizado tem que fazer outro lançamento para dar baixa. Ainda, no final do mês ou período, se faz necessário a conciliação bancária com objetivo de garantir que todos os lançamentos realizados na conta corrente da empresa também estão lançados no software de gestão”

Modelo de negócio

Diante da concorrência, Marcelo revela ter vantagens: a operação em franchising e contato direto. O Dot Bank é uma rede de franquias e nela, o franqueado é como se fosse a agência da marca na cidade dele, onde, atuará vendendo os produtos e serviços oferecidos no modelo é home office.

“Nós da Gigatron entendemos que os bancos digitais são incríveis, todos eles, mas o fato de não ter alguém próximo como se fosse o gerente da conta pode ser um problema, pois, é de extrema importância algum contato humano em algum momento. Digo isso, porque tive uma experiência muito ruim com um banco digital. Eu queria aplicar um dinheiro, então fiz contato pelo chat. Por lá o atendente me disse que a modalidade de investimento não estava disponível, depois mexendo um pouco na ferramenta, achei uma forma do meu dinheiro render diariamente. Isso só me fez ter certeza que o nosso modelo de franquias no banco digital tem muito sentido”, aborda o empresário.  

O investimento na franquia é de R$6 mil (já somados a taxa de franquia + capital de giro) e promete um lucro líquido de 15% a 20%. “Acreditamos que temos potencial para crescer exponencialmente em função do cenário econômico e pelo modelo de franchising aplicado nesse negócio”, conta ansioso.

Nessa fase inicial, Salomão revela que o objetivo é de abrir três mil contas PJ até dezembro deste ano. Situação que diz ser totalmente possível por já possuírem uma carteira de clientes que utilizam sistema de gestão da Gigatron. O que define estar “a um pulo de bater a primeira meta”.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de serviços , Microfranquias , Gigatron , Franquia de Software e serviços , Franquias baratas