Conheça as principais diferenças de ter uma loja de rua e no shopping

Publicado em 30/07/2019 por Imprensa

“Ponto de rua matura mais lentamente, mas em comparação possui necessidade de investimentos menores"

Para quem está em busca de abrir um negócio próprio é normal surgir a dúvida sobre o ponto de instalação, afinal qual é o melhor espaço para se investir, loja de rua ou shopping center? Devido a estrutura que os shoppings oferecem o custo para instalação nesse lugar tende a ser em média 30% mais caro que uma loja convencional, porém a vantagem é o movimento que eles oferecem, já que a circulação de pessoas é muito maior, além ainda de atender o público todos os dias da semana.

Henrique Mol, presidente da holding Encontre Sua Franquia, detentora de marcas como Acquazero (especializada em lavagem ecológica automotiva) e SUAV (com foco em serviços Express) observa que há pontos muito positivos para ambas localidades, porém a escolha para o local que pretende abrir deve ser estudado com cautela.

“Para quem está em busca de abrir um negócio de beleza como o modelo da SUAV, por exemplo, os dois pontos são similares, entendendo que o ponto de rua matura mais lentamente, mas em comparação possui necessidade de investimentos menores, o contrário da operação de shopping que fatura mais rapidamente, mas requer maiores investimentos”, explica.

Já para a Acquazero o formato de shopping para este modelo de negócio é o melhor ponto para se operar, visto a conveniência aos clientes do empreendimento que deixam o carro para fazer a limpeza, aproveitam para passear no shopping e em pouco tempo o serviço é finalizado. “Outro item importante é que nestes locais não temos concorrentes. Existe apenas uma estética automotiva por shopping. A grande dificuldade que enfrentamos é conseguir disponibilidade de vaga em shopping para abrir o negócio”, diz Mol.

Somando pontos

Mol lista algumas diferenças que impactam o negócio para quem está em dúvida sobre abrir uma loja de rua:

  • ·         Relacionamento mais próximo com o cliente, o que acaba gerando fidelidade;
  • ·         Menor rotatividade de funcionários;
  • ·         Dificuldade de estacionamento, principalmente para pontos que não oferecem estacionamento exclusivo aos clientes;
  • ·         Liberdade para fazer os próprios horários (de abertura e fechamento da loja);
  • ·         Liberdade em promover ações estratégicas de marketing;
  • ·         Menor garantia de fluxo de pessoas.

Já no shopping a principal diferença é o movimento de consumidores que é bem maior. Há ainda:

  • ·         Facilidade no estacionamento;
  • ·         Segurança, conforto e conveniência para os clientes, principalmente nos grandes centros;
    • ·         Ações para promover o negócio dependem da aprovação e calendário do shopping;
  • ·         Custo com o condomínio, aluguel e fundos de promoção do espaço;
  • ·         Maior compra por impulso, já que o cliente aproveita outras atividades que o shopping oferece;
  • ·         Alto valor da luva (taxa para entrar no shopping);
  • ·         Maior atratividade do espaço;
  • ·         Disponibilidade de trabalhar todos os dias, inclusive finais de semana e feriados;
  • ·         Quantidade satisfatória de funcionários para fazer rodízio entre folgas e finais de semanas.

“É fundamental que o investidor visite os concorrentes nos shoppings, verifique o fluxo de clientes na área que busca abrir a loja para então tomar a melhor decisão. Porém a franqueadora sempre caminha junto ao franqueado para encontrar o melhor ponto”, enfatiza Mol.

Das 18 lojas em operação da SUAV, uma se encontra no shopping center de Cuiabá (MT), as demais são lojas de rua. Já a Acquazero são 40 pontos em shopping, ou seja, aproximadamente 20% do total de unidades ativas da rede.

Escolha certo!

Um dos grandes motivos de falência das redes de franquias é a má escolha do ponto comercial. Daí a importância de estudo para que o franqueado saiba que aquele ponto é o ideal para manter o negócio. Claro, que assim como qualquer empreendimento ter sucesso também dependerá, e muito, do empenho do franqueado.

Aa redes Acquazero e SUAV usam a geolocalização para implantação do ponto comercial, assim é possível fazer uma análise mais detalhada levando em conta o perfil do consumidor, valor do aluguel, local para estacionar e volume do tráfego. Esse estudo é muito rápido e leva em média quatro horas para ser concluído.

“Como o trabalho é feito quando existe a instalação de ponto físico buscando entender o mercado e viabilidade para operação, sem dúvidas a escolha e entendimento do mercado é fator decisivo para sucesso do empreendimento. É muito importante a análise desse cenário antes do fechamento com o franqueado”, ressalta.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Acquazero , Suav