Chef de Buteco: um sonho a ser compartilhado

Publicado em 18/06/2015 por Bruna Santos de Souza | Ultima Atualização em 19/06/2015

A gourmetização apesar de ser um fato não ocupa o tradicional nos pratos servidos no restaurante da marca que presa pela qualidade.

Um sonho pode virar realidade em dezembro passado quando o Chef de Buteco, em São Paulo, foi aberto. Um sonho que dentro de muito breve será compartilhado, graças a marca nascer como uma rede de franchising. Atualmente há apenas uma unidade em operação, mas até o final deste ano a capital paulista receberá mais um restaurante.


O diferencial do restaurante está no cardápio que não foge do tradicional, mas pratos conhecidos dos frequentadores dos bares levam um toque especial, novos temperos, sabores, ou melhor, um toque do chefe. O nome, explicou o empresário Maurício Mantovani, vem desta união: Chef porque leva elementos especiais, e Buteco, pois vem dos pratos tradicionais e do termo usado no interior (com u ao invés do o).


A marca nasceu em dezembro de 2014, desde o começo conquistou os paladares dos clientes. De janeiro a junho a média de crescimento em pratos servidos no almoço é de 300%. Cerca de 100 pratos executivos por dia são servidos. A meta é crescer 50% em agosto. “No cardápio possuímos uma sugestão diária, mas temos o prato pronto. Não dá para fugir deste detalhe ou a empresa quebra”, contou Mantovani. Pretende-se abrir até o fim de 2015 a segunda unidade da rede, sendo que serão lançadas mais quatro até 2019.


A recessão financeira que o País vive não é exatamente um problema para o Chef de Buteco. Como a rede de restaurante funciona em dois horários o faturamento acaba mudando. De acordo com Maurício, no almoço executivo há o crescimento “todos almoçam, além disso compro direitinho, negocio com os fornecedores. Já no happy hour caiu o número de frequentadores. Calculamos uma queda de 5%”, disse o empresário. Ele ainda ressaltou que sente que o Brasil passa por um momento no qual a especulação em relação a crise é maior do que o problema real, já que ela tem atingindo o mercado em pontos diferentes e não na totalidade.


Os restaurantes costumam receber comentários nas redes sociais, e o Chef de Buteco também possui as suas avaliações. Maurício disse que elas são uma preocupação da empresa, tanto que já possuem um social media, o Rodrigo, que dá uma atenção especial as mídias sociais. “Presamos por um bom atendimento na nossa casa e também no online”, salientou.


Perguntado sobre como encara o efeito da gourmetização dos pratos, Mantovani contou que de certa forma o que é servido no restaurante passa por esse efeito, já que recebe um “toque especial do chefe”, mas nada que fuja do clássico.


Sobre o porquê da criação do Chef de Buteco, Mantovani falou: “Era um sonho que o Marcelo (sócio) e eu tínhamos. Nós eramos bancários e tínhamos o desejo de abrir algo nosso”. Ele explicou que começar já como franqueadora é uma forma mais rápida e fácil de fazer o negócio expandir. “Queremos compartilhar esse sonho, é muito bacana. Ajudar o franqueado a montar a sua empresa com o capital dele, ajudá-lo a mantê-la e acompanhá-lo quando o restaurante fizer o sucesso é muito bom. Dá arrepio só de pensar”, revelou Maurício.


Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias , Franqueadores , Franqueados , Franquias Gourmet , Crise Econômica , Economia e Mercado