Após alavancar empresa, diretor é demitido, se torna mestre sorveteiro e abre rede de franquias

Publicado em 04/06/2018 por Imprensa

A Shakerama Shakes e Delícias prevê faturamento de R$2,5 milhões em seu segundo ano de franchising

O empresário Luciano Rodrigo de Souza, de 40 anos, há três anos conseguiu por em prática um sonho antigo: ser dono do próprio negócio, no entanto, enfrentou muitos obstáculos para alcançar seu objetivo principal.

Desde muito novo, Luciano ajudava financeiramente os pais, aos 12 carregava tijolos e colocava areia no balde junto ao pai que era construtor. Em seguida, trabalhou durante um ano em um laboratório de prótese dentária, onde o seu serviço principal era levar e buscar, em cima de uma bicicleta, trabalho para o protético.

Após esse período, o segmento de alimentação entrou de vez na vida do empresário e não saiu mais. Durante 17 anos Luciano trabalhou no McDonald’s em São José do Rio Preto (SP), sua cidade natal, onde fez carreira e passou por todos os cargos, desde atendente, instrutor, coordenador de equipe e por último gerente. “Ao longo desse tempo aprendi muito a respeito da operação de franquia, padronização, procedimentos, atendimento, gerenciamento, desenvolvimento pessoal entre outros procedimentos que foram essenciais para o meu aperfeiçoamento profissional”, relembra o empresário.

De funcionário a formatador de franquias

Luciano sentia que era hora de mudar. Já formado em Administração de Empresas tinha o sonho em fazer MBA pela FGV, no entanto estava sem condições financeiras para o curso. Foi quando um amigo o apresentou a um tio que contava com algumas sorveterias e buscavam por um profissional para padronizar procedimentos, atendimento e o visual das unidades próprias.

“Estavam organizando um encontro e me convidaram para fazer uma palestra para eles, fiz, e em seguida fizeram uma proposta de trabalho. Acertamos os valores e daria para pagar o MBA que tanto eu queria. Conversei com minha família e deixei a segurança de uma multinacional para uma marca que em Rio Preto tinha apenas uma portinha no calçadão que não representava nada”, diz.

Luciano desenvolveu o trabalho de consultoria visitando todas as unidades, padronizando produto, atendimento, layout, todo o serviço atrelado a um amigo profissional da área de marketing que pouco tempo depois as 28 unidades familiar aumentaram para 40. “A economia estava no auge, o consumo estava alto e as pessoas começaram a perguntar se era franquia, foi onde surgiu a oportunidade de mostrar aos donos da marca a oportunidade de transformar o negócio em redes de franquias. Ofereceram-me um pequeno percentual do resultado da empresa que iriamos formar e começou o desafio”, afirma.

Ele atuou por aproximadamente três anos como consultor e na formatação como diretor executivo, levando a marca de 40 a 250 unidades inauguradas e 350 contratos de franquia assinados. “Inclusive, o meu TCC no MBA foi a formatação dessa rede de sorveterias como empresa um ano antes de aplicar de fato a teoria na formatação do negócio”, ressalta.

Após seis anos trabalhando para a rede que em suas mãos ficou conhecida no Brasil todo, Luciano foi demitido pois, segundo ele, “o pequeno percentual que eu tinha de participação passou a incomodar os sócios, pois viam a empresa formatada, com alta lucratividade e crescimento incrível e me viram como um peça substituível de forma mais barata”, alega o empresário.

Hora de traçar novos caminhos

Com o conhecimento do sorvete soft adquirido na época que trabalhou no McDonald’s e a paixão pelo sorvete em massa, fez com que o empresário unisse o útil ao agradável e mergulhou de cabeça no universo do sorvete.

Luciano não desistiu de lutar, em 2015 colocou em prática o projeto de ter uma marca própria, formatada desde seu início para expandir através de franquias. “Neste ano também comecei a prestar consultoria a outras marcas de varejo e franchising para compor o orçamento mensal para o sustento da família”, fala.

Há um ano no franchising, a Shakerama oferece cinco modelos de negócios com valor de investimento entre R$99 mil a R$230 mil e três unidades em operação. No ano passado a franquia faturou R$850 mil e projeta alcançar este ano R$2,5 milhões com a inauguração de cinco novas unidades, totalizando oito franquias em operação.

“Nosso objetivo para os próximos cinco anos, a partir de 2019, é de fecharmos 12 contratos por ano. Para isso, temos um planejamento que inclui o lançamento de novos produtos a cada quatro meses para atingir o cliente final. Todo o mercado brasileiro tem grande potencial para receber os nossos modelos propostos. O Brasil é um país tropical e carente de produtos de qualidade a preço justo, e se temos preferência de explorar uma região em detrimento de outra, são por motivos logísticos e de estratégia”, explica Luciano que revela que os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul estão no radar da empresa para expansão dos negócios neste primeiro momento.

Mestre Sorveteiro

Com cerca de 250 horas de cursos, treinamento e dedicação em criar novas fórmulas e testar no dia a dia inúmeras bases, tipos e sabores de sorvetes, Luciano conquistou o título de mestre sorveteiro.

“Quando iniciei o projeto da Shakerama, em 2015, pensei que soubesse o suficiente para criar e expandir minha marca. Obviamente sabia do desafio financeiro que iria enfrentar por não ter capital para investimento, mas o que foi mais importante e me levou a desenvolver a franquia foi estudar sorvete, entender de formulações e todos os detalhes que envolvem essa gostosura, o que possibilitou me formar como “mestre sorveteiro”, na qual acabei desenvolvendo uma formulação de receita exclusiva de sorvete”, diz. A receita da Shakerama oferece 30% menos gorduras e açúcares em sua formulação, além de ser um produto ainda mais cremoso do que os sorvetes industrializados.

Lado a lado

Luciano ressalta que prioriza e valoriza a presença da família nos negócios, portanto trouxe para perto de si, sua esposa Creuza de Souza, que oferece suporte psicológico e emocional tão necessário para a caminhada empreendedora. “Além de ser minha ajudante como motorista, pois nas viagens que pode me acompanhar ela dirige o carro enquanto vou falando ao celular, mandando e-mail, WhatsApp ou até mesmo cochilando um pouco. As suas ideias e opiniões também são muito importantes para o negócio, pois nestes 18 anos de casados, ela também desenvolveu muito seu senso crítico no franchising e no varejo de sorveteria”, diz.

O empresário é pai de duas meninas, ainda em idade escolar, porém grande apreciadoras de sorvete. Luciano enfatiza que apesar da pouca idade a intenção é que elas acompanhem os negócios e desfrute de oportunidades que poderão surgir.

“Prepare seu psicológico para as críticas e os desafios. Saiba que ao cair só lhe resta uma alternativa, levantar. Acredite nas pessoas e no país, mesmo tudo levando a pensar o contrário. Faça conta de centavos, pois dinheiro não aceita displicência. Trabalhe muito e por muito tempo. O sucesso vai chegar!”, conclui Luciano.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de sorveterias , Shakerama