Segurança cibernética e o bom funcionamento das empresas

Publicado em 04/09/2019 por Imprensa

Marcelo Salomão, investidor anjo e diretor executivo da Gigatron Franchising*

Muita coisa mudou desde que a transformação digital passou a fazer parte de nossas vidas. A internet se tornou um dos principais canais para fazer absolutamente qualquer coisa: vender, comprar, pagar, assistir filme, conversar com as pessoas. E para quem trabalha com vendas, a internet é uma grande aliada das conversões. Mas apesar de ser uma ferramenta incrível que conecta pessoas, serviços e produtos, também pode gerar muitos problemas. 

Segundo o 5° Relatório de Segurança Digital no Brasil 43,8 milhões de ciber ataques foram registrados durante o terceiro trimestre de 2018 - cerca de cinco links maliciosos foram detectados por segundo. Parece pouco? Um pouco de contexto pode ajudar: pense no tanto de informação que você já compartilhou na internet desde quando começou a usar a rede. Em quantos sites já entrou? Quantos cadastros online você fez? Quantas compras? Seria praticamente impossível contabilizar, mas uma coisa é certa: esses dados nunca serão apagados.

O cuidado com as informações deve ser redobrado especialmente para quem trabalha diretamente com dados de outras pessoas. Eu, por exemplo, faço tudo pela internet: lido com clientes, funcionários, negócios bancários, tudo! Acesso todas as informações dos meus negócios e investimentos pelo celular, e se eu não investir em segurança coisas importantes podem ser contestadas, como a reputação da minha empresa - o que é de extrema importância para qualquer negócio.

Falhas na segurança podem causar problemas morais, financeiros e jurídicos. A segurança cibernética é um assunto tão sério que está até prevista em lei: as regras da Lei Geral de Proteção de Dados (n°13.708, agosto 2018) têm o objetivo de “proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade” nos meios digitais, deixando claro que qualquer dado do cliente da sua empresa é considerado como informação pessoal. Portanto, nome, endereço, informações bancárias, identificações de IP e muitos outros itens devem ser protegidos.

Algumas características são fundamentais para assegurar a proteção de dados da sua empresa, como escolher um bom provedor de serviços em nuvem capaz de realizar backups automáticos e que ofereça criptografia de ponta para dificultar o acesso dessas informações em caso de invasão do sistema.

São formas básicas, mas obrigatórias para manter intactos dados da sua empresa e, consequentemente, dos seus clientes, para evitar problemas futuros que podem colocar em xeque toda sua operação.

*Fundador e diretor executivo da Gigatron Franchising, rede de franquias que há mais de 20 anos desenvolve softwares para empresas do varejo, com mais de 70 unidades espalhadas pelo país. Formado em administração de empresas com habilitação em análise de sistemas pela Universidade Metodista de São Paulo, Salomão também é investidor serial em negócios da área de tecnologia (com investimentos em fintechs e startups), entretenimento, indústria e varejo.

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Artigo