Tenho perfil empreendedor. Eu me daria bem sendo franqueado?

Publicado em 06/11/2014 por Luiz Marcondes | Ultima Atualização em 05/12/2014

Boa pergunta. A resposta é: depende. Isso porque não existe apenas um perfil empreendedor, mas vários subtipos e cada franqueadora pode buscar um deles. Então, você pode ser um empreendedor muito bom para uma franquia, mas ruim para outra.


Algumas delas exigem curso superior, outras não. Umas dão preferência a mulheres, como a Kumon, na área de ensino. Outras, exigem formação pedagógica, caso da Fisk idiomas, por exemplo. 


Certas características, no entanto, são comuns à maioria dos empreendedores. Veja a seguir algumas delas: 


Identificação com o negócio  


"Você gosta de café?" Se você for entrevistado numa seleção da franquia Fran´s Café, essa será uma pergunta-chave. E não é por acaso: a paixão pelo produto ou serviço costuma garantir aquelas horas de empenho a mais que fazem a diferença. Essa paixão é um combustível poderoso para se vencer contratempos comuns, como o simples cansaço. E acredite, todo franqueado precisa desse "café" como estimulante, seja ele da rede Fran´s ou não. 


Há um princípio básico em atuação aqui: você não pode vender bem algo em que não acredita. Essa é a parte de "vestir a camisa". Mas tem mais:


Comprometimento 


OK, você gosta do produto ou do serviço da franquia. Mas como cliente. E na operação, como franqueado? Será que você combina com o dia a dia? Se for uma loja no shopping, por exemplo: você está preparado para viver sem fim de semana? 


Se você vai se tornar franqueado de uma rede de limpeza: está preparado para fazer até faxina, caso uma greve afete seus funcionários? Acredite, essa é uma das perguntas da entrevista que seleciona franqueados da Limpidus. Isso é mais do que ser empreendedor? De certo modo, é. É ser empreendedor, vestir a camisa e ainda manejar o espanador. 


Flexibilidade 


Empreendedor, segundo uma definição simplificada, porém popular, é aquele que começa um negócio a partir do zero. Pensando nisso, podemos concluir que, a rigor, o franqueado não empreende, pois apenas passa a integrar um negócio já iniciado, que não foi concebido por ele. E mais: tal negócio é extremamente padronizado. Ou seja, o lado criativo do empreendedorismo não poderá se manifestar com toda intensidade. Assim, se o franqueado for empreendedor, capaz de operar o negócio e tiver capacidade financeira, mas não tiver flexibilidade, terá problemas, pois é preciso se adaptar às regras da franqueadora. 


Leve em conta essas características ao avaliar franquias, prepare-se para as entrevistas e não desanime se não conseguir de primeira, mesmo tendo capital. Basta pesquisar um pouco mais para encontrar uma franquia que é perfeita para você...E você para ela.


Clique aqui para receber mais informações: http://www.mapadasfranquias.com.br/registro/newsletter

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Investir em franquias, Empreender, Franquias, Empreendedor, Dicas para investir em franquias, Kumon, Franquias de educação