Cinco dicas para preservar a rotina familiar e estimular a independência da melhor idade

Publicado em 23/02/2018 por Imprensa

Quando se tem um idoso em casa sabe-se como a rotina é parte imprescindível do cotidiano, acreditam que pode ser nocivo ao cérebro, mas ela só será se não tiver atrelado aos desafios do dia a dia.

Muitas vezes as pessoas tiram os desafios diários, com a intenção de tornar mais simples a realização dos afazeres, o ideal é deixar com que o idoso elabore sua rotina e a descreva e anote em um caderno ou planilha para ser lembrada e colocada em pratica, esse é um exercício que faz bem para ele e para a família.

Visando melhorar a qualidade de vida da melhor idade, a cuidadora Silvia Camila, franqueada da maior rede de cuidadores de idosos do Brasil - a Home Angels, dá algumas dicas práticas de como cuidar dos idosos de maneira segura e acolhedora.

Agenda

Estimulá-lo a agendar seus próprios médicos e exames, mantendo, sempre, uma agenda a mão, para anotar os compromissos. Colaborar para que as atividades presentes no dia a dia sejam, em sua maioria, realizadas na mesma ordem, isso trará segurança ao idoso. Mas, lembre-se, vez ou outra é necessário e esperado pelo cérebro que algo seja alterado, para tirar o idoso do modo automático e assim gerar autonomia.

Higiene

O momento de higiene é rico em oportunidades de estímulo cognitivo, peça ao idoso que pegue os utensílios necessários para a higiene corporal ou bucal, separe-os por utilidade, por cor ou por marca, pode-se solicitar que seja higienizada determinada parte do corpo ou orientar qual sequencia de higiene deve ser feita, por exemplo, comece lavando a cabeça, depois as axilas, a barriga e assim por diante.

Também se pode colocar outros conceitos, como direita/esquerda, em cima/em baixo, para dentro/para fora, pedir que o ele soletre o nome do shampoo, por exemplo, ou da pasta de dente é um caminho bem interessante.

Essas atividades podem ser aplicadas à higiene bucal, corporal e intima, preste atenção, somente, para que áreas molhadas da casa, como os banheiros, não ofereçam risco de queda.

Alimentação

A alimentação é um momento de socialização entre as pessoas e pode ser usado de diversas formas para ajudar o idoso a se manter ativo. As mulheres são as mais beneficiadas nos estímulos aplicados ao preparo das refeições.

Peça que separe os legumes das verduras, que as higienize, corte ou coloque em um determinado local. Também pode ser solicitado que seja explicada como deve ser feito um alimento ou uma receita. Seguir receitas é outro ponto que vale a pena colocar na rotina, mas você pode fazer pequenas alterações para deixar o cérebro ligado na atividade, afinal é um desafio que o idoso não esperava. Após preparada, pode ser solicitado que coloque em um determinado local o alimento, como em uma tigela quadrada, por exemplo, e que esta deve ir à mesa do lado direito.

Uma simples ação e muitas informações legais. Ao servir a refeição, ele pode ser lembrado de escolher o que quer comer, quantidade, cores dos alimentos, classificação de cada item que está à mesa, por exemplo, sal se compra no mercado e cenoura no hortifrúti. Mas, atenção! A cozinha é um local com muitos utensílios que podem oferecer risco. Por isso, essas atividades devem ser feitas com a supervisão de outra pessoa.

Roupas

Vestir-se é uma atividade de um grau de dificuldade interessante. O cérebro precisa linkar várias informações ao mesmo tempo, como a temperatura do dia, o compromisso do dia, a cor, o estilo, entre outras vertentes. Peça que o idoso cheque a temperatura do dia para decidir se coloca roupas de frio, calor ou meia estação. Depois as peças podem ser separadas e ele escolher qual quer colocar e que cor combina com o que foi escolhido. As mulheres podem ser estimuladas a escolherem jóias e outros adornos que combinem com a vestimenta.

Enquanto os homens a escolherem gravatas, meias, lenços, relógios, a conversa pode ser em torno das roupas usadas nas diferentes fases da vida, como na adolescência e na vida adulta.

O ato de vestir-se também é bem interessante, pois requer a capacidade de lembrar o movimento que precisa ser feito e ao fazer envolve os aspectos motores e cognitivos. Por isso o idoso que tem condições de fazer todo o processo não deve ser barrado, pois além de se tratar de estímulo é uma ótima oportunidade de sentir-se ativo e dono das próprias decisões, ciclo que irá gerar autoestima e bem estar.

Lazer

As atividades de lazer, principalmente as que são ao ar livre oferecem estímulos cognitivos e motores. Encontrou uma flor no meio do caminho?

Porque não conversar sobre as cores, nome, onde deve ser plantado, como cuidar de uma flor. Chegou a um grande campo verde, é hora de tirar os sapatos e caminhar na grama, sentindo a textura, o desnível do solo e as sensações que veem com esse contato com a natureza.

Saiu para caminhar, que tal atrelar a ação motora a uma atividade cognitiva? Pode ser problema matemático ou uma tabuada. Pode ser uma música e cantarola-la durante o percurso.

Bingos e chás com as amigas são, por si só, momentos de grande atividade para o cérebro. Então, sempre que tiver oportunidade, o convite deve ser aceito.

O dia a dia pode ser muito interessante, desde que os olhos estejam treinados a enxergar essa possibilidade e o cérebro disponível para entender como uma oportunidade impar de ser estimulado. Não perca esse momento de acordar seus neurônios!

Clique aqui e cadastre-se para receber informações exclusivas. É gratuito!

Palavras-chaves: Franquias de serviços , Empreender , Franquias , Home Angels